Dicas para melhorar o rendimento dos treinos

Estava lendo uma matéria sobre dicas para melhorar o rendimento nos treinos de musculação e gostaria de dar minha opinião e esclarecer os leitores do meu site sobre algumas coisas que observamos em matérias como essa ou nos próprios treinos dos alunos nas academias.

Deixo o link da matéria para quem quiser dar uma olhada: http://www.minhavida.com.br/fitness/galerias/4589-11-dicas-para-voce-detonar-na-musculacao

Primeiramente, o texto ignora logo de cara um dos 4 princípios fundamentais do treinamento esportivo. O da Individualidade Biológica. Ao dizer que os professores indicam séries de 12 a 15 repetições, mas que o leitor pode diminuir o número de repetições e aumentar a carga, o autor da publicação coloca a integridade do praticante em risco, uma vez que cada indivíduo responde de maneira diferente ao estímulo, e cada um tem seu nível de treinamento. A pessoa mais indicada para modificar o treino de um aluno é seu professor. Só ele pode estimar a quantidade de carga que um aluno consegue pegar.

Segundo: ao combinar exercícios, o tipo de treinamento é modificado. Exercícios seguidos são denominados bi-set. Se são três, são denominados tri-set. Os exercícios bi-set ou tri-set para os mesmos grupos musculares exigem um bom estado de treinamento, não devendo ser aplicados a iniciantes.

Terceiro: a velocidade do movimento varia com o tipo de treino. Se é um treino de potência muscular, a velocidade do exercício deve ser a maior possível. Já se o treino é de força ou resistência, a velocidade do movimento deve ser controlada, mas não necessáriamente muito devagar.

Quarto: ao colocar uma carga leve e realizar repetições até a fadiga muscular, mudamos o tipo de treino. Passa a ser um treino de resistência muscular, o que, amplamente esclarecido na literatura da área de educação física, não promove aumento de massa muscular, mas sim uma maior definição da musculatura.

Quinto: o exercício com aparelho não "isola melhor o músculo". Os exercíos com aparelhos na verdade promovem uma maior segurança do movimento, por outro lado, o componente coordenativo é melhor trabalhado com exercícios com pesos livres. O ideal é ter a supervisão adequada  na execução do movimento em ambos.

Sexto: não se deve trocar a carga em todos os treinos. Isso é trabalho do professor, e ele irá alterar as cargas somente quando ele julgar adequado. O praticante deve comunicar o professor se um peso está muito leve ou muito pesado para a execução do número de repetições prescritas no treino, para que ele possa fazer a alteração.

 

Sétimo: o tempo de descanso varia de acordo com o tipo de treino. Um treino de força máxima requer um tempo de descanso para a musculatura maior que um treino de resistência, por exemplo. Geralmente o tempo de descanso varia de 30 segundos a 2 minutos.

O mais importante é confiar seu treino a supervisão de um profissional capacitado. Dessa maneira, os resultados aparecerão com mais facilidade, e sem os riscos proporcionados pelo treinamento incorreto. Busque sempre a ajuda do seu professor!