Por que contratar?

Um programa regular de exercícios bem supervisionado promove diversos benefícios ao organismo humano. Segundo McArdle, Katch e Katch, em seu livro "Fisiologia do Exercício", a capacidade fisiológica e de desempenho geral dos homens e mulheres declina após, aproximadamente, os 30 anos de idade. O treinamento físico regular permite às pessoas reterem níveis mais altos de capacidade funcional, especialmente da função cardiovascular. Um estilo de vida ativo, durante toda a vida, proporciona importantes benefícios à saúde.

O Treinamento Personalizado (TP) proporciona a adequação da atividade física às condições do praticante. Além da melhora na função cardiovascular (a doença coronariana é a maior causa de morte da população ocidental), um programa de TP proporciona melhora no crescimento e retenção de massa óssea, evitando a osteopenia e a osteoporose, promove aumento de massa magra e redução no percentual de gordura corporal (o exercício físico retarda o ritmo de divisão dos adipócitos, que são as células armazenadoras de gordura), otimiza a função hormonal e proporciona mais disposição e sensação de bem-estar, através da liberação das endorfinas (hormônio que promove mehora no sistema imunológico, retarda o envelhecimento, aumenta a resistência, melhora a memória e a concentração).

Estudos mostram que o aumento do sedentarismo com o envelhecimento é um dos fatores decisivos do declinio da capacidade funcional do ser humano, e que a prática regular de atividade física propicia reversibilidade parcial, manutenção ou redução da taxa de declínio da mesma. Assim sendo, pelas características do programa de Treinamento Personalizado, no qual o profissional de educação física permanece o tempo todo sob vigilância do seu cliente, parece ser o mais indicado para o controle da intensidade do exercício, em que a realização dos movimentos exige execução e repetição adequada para evitar prejuízos ou lesões.

Segundo Douglas Brooks, conceituado personal trainer nos Estados Unidos, uma série de fatores contribuem para que o cliente procure um personal trainer, dentre os quais podemos destacar: resultados mais satisfatórios, maior variabilidade do treinamento, acompanhamento de seu progresso, aumento da motivação e maior comprometimento. Nas academias é comum observarmos alunos iniciantes e intermediários realizando exercícios sem a supervisão adequada, realizando movimentos incorretos, dando muito tempo de intervalo entre os exercícios, pegando pesos muito leves ou muito pesados para sua condição física, entre outros. O resultado disso é a desistência da prática de exercícios, seja pela falta de estímulo, pelos resultados insatisfatórios ou por dores contínuas e lesões.

De acordo com Mehler (2000) apud Garay, Silva e Beresford (2008), os indivíduos procuram um programa de treinamento personalizado quando estão interessados em praticar uma atividade física com maior objetividade e eficiência, que atenda às suas expectativas e à sua individualidade biológica, seja do ponto de vista da saúde, da performance esportiva ou da estética, além da segurança quanto à execução do exercício. O fator motivacional também é de grande importância na aderência e manutenção dos clientes ao programa de treinamento personalizado.

Em um estudo publicado no Journal of Strenght & Conditioning Research, importante publicação na área de educação física, Ratamess, Faigenbaum, Hoffman e Kang (2008) investigaram a influência da supervisão de um personal trainer num programa de exercícios de musculação para mulheres e constataram um aumento de 10% na força de indivíduos que treinaram com um personal trainer em comparação com indivíduos que treinaram sem supervisão. Nos exercícios de Remada, Supino, Leg Press e Cadeira Extensora houve aumento de 14%, 9%, 9% e 5% na força, respectivamente, na comparação entre indivíduos que treinaram com um personal trainer versus indivíduos que treinaram sem personal.

Em outro Estudo, McClaran (2003) afirma que o "one-on-one" personal training é um método efetivo para mudar os hábitos e aumentar o nível de atividade física, sendo que em apenas 10 semanas de treinamento com personal, 73% dos indivíduos estudados melhoraram consideravelmente seu condicionamento físico.

Como visto, um personal trainer capacitado pode maximizar os resultados do cliente e garantir segurança e bem-estar. Mas como escolher seu personal trainer?

Segundo Galvão (1997), o profissional deve ser graduado e especializado na área da Educação Física. Para tanto, a formação acadêmica é fundamental. O profissional deve atender seus clientes numa visão mais ampla, ou seja, além do movimento, das repetições e dos exercícios. Monteiro (2002) relata que elaborar um programa de treinamento individualizado é acompanhar o andamento dos treinamentos, monitorar as sessões e avaliá-las abrangendo um complexo campo de conhecimentos, desde as características psicológicas do executante até os mais diversos métodos de abordagem.

É fundamental que o cliente questione o profissional, veja se realmente ele possui os conhecimentos adequados para ministrar um programa de treinamento personalizado, de forma que não seja um mero reprodutor de exercícios, que tenha consciência do que está fazendo e não tenha apenas "um corpo bonito". Existem diversas faculdades por aí formando milhares de professores todos os anos. Será que uma pequena diferença de preços entre os profissionais não fará uma grande diferença nos resultados? Pense nisso! O investimento feito em prevenção, isto é, cuidar da saúde através de um treinamento físico personalizado, é muito mais barato e adequado do que o investimento feito em remédios para tentar amenizar os sintomas de doenças desencadeadas por um estilo de vida sedentário!